Oh, como o som do ponteiro dos segundos me inquieta, como o passar do tempo dói! Tique-taque.
Estou há horas à tua espera, mas a rua está vazia, apenas com a chuva que teima em cair. E sinais de ti, nem um. Tique-taque.
Talvez te tenhas atrasado. Ou ficado preso no trânsito. Será que adoeceste? Com este tempo, é bastante provável. Tique-taque.
Mas sabes, eu também estou aqui, neste banco de jardim, há tempo suficiente para apanhar uma constipação... E porquê? Por causa de ti. Porque quando dizes "Vem ter comigo" não há nada que me impeça de o fazer. Porque o meu coração não sabe o que é ter voz própria. Segue o seu instinto, qual animal selvagem. Tique-taque.
Sabes que mais? Vou-me embora, neste momento já não suporto este tique-taque contínuo. Sabes onde me encontrar, caso ainda queiras estar comigo. Aliás, sabes sempre.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Faz dos teus pensamentos, palavras. Obrigada por cá passares (: